Star Trek FanFiction

Forum dedicado a franquia Star Trek
 
InícioPortalFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 A Filha de Dois Mundos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: A Filha de Dois Mundos   Seg Out 17, 2016 8:41 pm





Capítulo 1 - Não quero ir.


— Devo reiterar, Senhor, que não tenho interesse algum em ingressar nesta missão!
— Você não tem muita escolha, T'mar... A frota quer uma tripulante e você está no topo da lista desta base. A senhorita é a melhor cientista que poderíamos fornecer á melhor nave da frota.
— Almirante...
Vencida, a mulher deu um longo suspiro. Sabia que não haveria argumento concreto contra seu superior. Qualquer fala que dissesse, Surak teria mais duas ou três como respostas perfeitamente lógicas. Não é fácil ser subordinada a um de sua própria espécie.
Voltou ao seu alojamento para recolher suas coisas. Não pretendia servir em naves estelares quando se recrutou na Frota. Todavia, seu desejo de permanecer em um lar que não viaja por aí não poderia ser levado em consideração.
Resolveu se contentar enquanto guardava seus poucos pertences em uma pequena mala.
— Então é verdade mesmo, T'mar? Você vai partir? — Indagou com os olhos cheios de lágrimas. Era sua colega de quarto e melhor amiga Sacha, uma garota da Terra que - assim como ela. - cresceu dentro de uma nave em viagens infindáveis pelo espaço.
— Sim... Embarco em 4 horas se a nave mantiver a velocidade informada.
— Por que não disse antes? — Exclamou abraçando-a. Sua respiração ofegante denotava que ela estava chorando.
"Humanas parecem ter motivos pra chorar em quaisquer situações." — T'mar pensou antes de falar.
— Eu não tenho desejo de partir, mas Surak não me deu alternativas. Manteremos contato, Sasha. Agora preciso preparar minha documentação para o embarque e me despedir dos colegas do laboratório. Quisera ter mais tempo...
Saiu do alojamento escutando sua amiga se lamentando de sua sorte. Se dirigiu ao laboratório para pegar suas pesquisas e finalizar o que fazia quando foi chamada por Surak.
Tanto tempo convivendo com humanos a fez conhecer e compreender seus sentimentos, mas a força de sua cultura ensinava a mantê-los sob controle. Porém era certo afirmar que sentia uma certa tristeza ao deixar a base onde viveu e trabalhou nos últimos 5 anos.
O tempo estava se esgotando. Então, T'mar voltou ao alojamento com a documentação pronta ainda a tempo de encontrar Sasha com os olhos vermelhos de seu pranto.
— Não vai ser a mesma coisa sem você, T'mar...
— Certamente que não.
— Às vezes tenho vontade de te dar uns bons tapas pra que você me entenda!
— Não acredito que me bater vá mudar a forma que entendo os sentimentos.
— Você é tão chata! — Sasha revirou os olhos.
— Eu sei e irei sentir saudades também, Sasha — Falou envolvendo a amiga com os braços. Sabia que era o que ela precisava e esperava que T'mar o fizesse.
— Me acompanha até o transporte? Pelos meus cálculos ainda restam 22 minutos até meu embarque.
— Meu Deus, é claro que vou. Vamos ficar tanto tempo sem nos ver!
Enquanto as amigas se despediam de forma tão emocional, no espaço acima delas a grandiosa nave estelar entrava em órbita padrão.
— Capitão, a base informa que o tripulante que viemos buscar já está a postos na sala de transporte. — Falou Uhura.
— Ótimo! Vou para a Sala de Transporte. Onde está Spock?
— No laboratório coordenando a instalação dos novos equipamentos, senhor. — Uhura respondeu prontamente.
— Ok. Depois eu falo com ele. Sr Sulu mantenha órbita padrão. — ordenou.
O Capitão se dirigiu ao turbolift e encontra McCoy no caminho.
— Onde vai apressado, Jim?
— Receber na sala de transporte o tripulante que pedi a Surak.
— O Vulcano Surak? Com certeza que teremos mais um computador orelhudo de sangue verde. — Bones resmungou.
Conversavam enquanto andavam pelos corredores da nave e entravam na Sala de Transporte.
— Mas este é diferente...


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Seg Out 17, 2016 8:51 pm

Ela já tá prevendo que vem treta poor ai e das grandes.
Bones deixa de ser turrando que o teu mal a garota cura ou nao rsrsrsrs
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Ter Out 18, 2016 8:29 pm

Blankie Jackson escreveu:
Ela já tá prevendo que vem treta poor ai e das grandes.
Bones deixa de ser turrando que o teu mal a garota cura ou nao rsrsrsrs
hehehee tretas

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Ter Out 18, 2016 8:30 pm

Capitulo 2-Fascinante


Sob o olhar do Médico-Chefe, Kirk fez sinal para que o transporte fosse autorizado e T'mar se materializasse diante deles.
Ela era alta, como esperavam que se fosse. Afinal, todos os vulcanos que conheceram eram assim: Altos e magros. Com cabelos negros presos em um coque e sob as sobrancelhas angulosas, grandes olhos verdes.
— Mas é uma garota! — exclamou Bones.
— Seja bem vinda a bordo, Tenente T'mar! Eu sou o Capitão Kirk e este é o médico-Chefe Dr McCoy. — Kirk os apresentou, apontando para si mesmo e para Bones.
A garota reverenciou ambos e pegou sua mala antes de descer do transportador. McCoy se adiantou, oferecendo ajuda.
— Eu levo pra você!
— McCoy pode mostrar a nave para você e te mostrar seu alojamento. — Kirk opinou.
— Capitão, eu estudei os diagramas da Nave enquanto estava esperando o embarque. Preciso apenas que me indique onde fica meu alojamento. — Falou se dirigindo a Kirk, que sorria.
— Não se preocupe moça! Terei prazer em te mostrar a nave, se não se importar. — Bones se apressou a dizer.
— Bem, não me importo, mas imagino que o Dr tenha algo mais a fazer. — T'mar falou, sem perceber frieza em suas palavras - algo tipicamente vulcano.
McCoy olhou mais uma vez para seu capitão, e este entendeu que o médico queria dizer que T'mar era mais um computador de sangue verde. Mas, o bom doutor não havia conseguido disfarçar a surpresa e interesse iniciais.
O médico era gentil e galante por natureza e mesmo diante da frieza da jovem, ele não poderia negar que estava encantado por ela e que havia naquela mulher algo de verdadeiramente fascinante.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Ter Out 18, 2016 8:55 pm

Maccoy está caindo, caindo e caindo nos braços dela
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qua Out 19, 2016 7:37 pm

Capítulo 3 - Impacto



T'mar entrou em seu novo alojamento e ficou espantada, pois era maior que o espaço que dividia com Sacha na base estelar.
Procurou no armário o seu uniforme e tratou de vesti-lo. Logo, se olhou no espelho e não gostou muito.
— Como conseguem trabalhar com uma roupa curta destas?
Puxou instintivamente e sem sucesso diversas vezes a saia pra baixo. Então desistiu e seguiu na direção que McCoy indicou ser o Laboratório, não sem antes organizar suas coisas e as levar junto.
Andou apressadamente pelos corredores, havia levado muito tempo pra vestir o uniforme e isso lhe rendeu alguns minutos de atraso.
T'mar tinha memorizado os diagramas da Enterprise antes de sair da base. Porem, não havia considerado que houvessem pessoas apressadas como ela.
Ao virar o corredor equilibrando vários pad's em seus braços, notou que um homem vinha igualmente apressado na direção dela. Não havendo tempo para desviar, apenas se preparou para o impacto.
T'mar bateu o corpo contra a parede do corredor e os pad's que trazia se espalharam pelo chão. O rapaz que chocou-se contra ela quase teve o mesmo destino dos pad's, mas foi amparado por outro homem que também cruzava os corredores.
— Tenente, precisa ter mais cuidado por onde anda. — Falou Spock suspendendo Chekov pelos braços.
— Eu estou atrasado para voltar pra ponte, senhor Spock! A senhorita se machucou? — Falou o jovem russo se voltando para T'mar.
— Estou bem. — Respondeu, achando diferente o sotaque daquele menino. — Sou a tenente T'mar. Acabo de ser transferida.
— Precisa estar atenta, tenente. Poderia ter danificado algum pad. — Falou Spock enquanto Chekov ajudava T'mar a recolher os equipamentos do chão.
— Não houve tempo para desviar, senhor Spock. — Respondeu tentando disfarçar sua impaciência enquanto terminava de recolher os equipamentos que trazia e agradecia a gentil ajuda do jovem russo.
— A senhorita foi designada para o novo laboratório?
— Afirmativo.
— Está atrasada. Deveria ter se apresentado há doze ponto três minutos.
— Estou consciente disto, senhor.
— Não existem muitas fêmeas cientistas em Vulcano.
— Nunca estive em nosso planeta natal. Portanto, não posso afirmar que lá exista alguma fêmea dedicada à algo que não seja a lógica. Agora se me der licença, como o senhor mesmo disse, estou atrasada.
E deu as costas à Spock, distanciando-se o mais rápido que podia. Pensava no que poderia fazer para manter aquela distância permanentemente.
Até então, Surak fora o único vulcano com quem T'mar tivera contato, e nunca houve constrangimento, afinal ele era seu tio e sabia de sua origem... Mas Spock era um estranho e ela temia por sua carreira na Frota Estelar.
Entreteve-se o resto do dia organizando suas coisas no laboratório, e quando saia de lá se deu conta de que ainda não havia comido nada naquele dia.
Dirigiu-se à um dos refeitórios da nave e pediu ao computador uma salada e algumas frutas, mas o cheiro da carne fez seu estômago se agitar. Ser vegetariana era um aspecto da cultura de seus pais que a incomodava. Ela ainda sentia vontade de comer carne
Terminou de ingerir o que no que tinha em seu prato e retornou à sua cabine o mais rápido que pôde. Estava se sentindo incomodada pelo grande número de olhares curiosos sobre ela.
Já em sua cabine, gravou seu diário pessoal, uma mensagem para Sasha e após o banho, meditou longamente para conseguir adormecer. Sua mente não conseguia parar de pensar em como faria para evitar a presença de Spock... Ela sabia que ele lhe traria problemas.
Retardou o quanto pôde o exame médico, insistindo em apresentar a última avaliação feita antes de deixar a Base. Mas depois de 6 meses McCoy, que sempre se derretia diante da jovem tenente, a intimou para o exame de rotina ao qual cada membro da tripulação passava periodicamente.
À está altura T'mar não havia feito amizade com muitos tripulantes, sempre fora muito reservada. Mas, sempre tinha com quem conversar.
Seu trabalho no laboratório era impecável, não deixando margem para que houvesse nenhum tipo de reclamação por parte de nenhum dos oficiais a que era subordinada.
Sua relação com Spock era unicamente profissional, não tendo trocado com ele sequer uma palavra fora do laboratório, e, nada que não fosse relacionado ao trabalho era falado entre eles. T'mar sabia que ele a observava atentamente e que ao primeiro deslize, seria descoberta. E ainda assim o som dos passos dele cadenciado pelo corredor a inquietava de uma maneira que ela não compreendia.
Se dirigiu à enfermaria imaginando se McCoy saberia diferenciá-la. Se acaso conhecia como era a fisiologia de seu planeta de origem e torcendo pra que ele não soubesse... Ou que pelo menos já tivesse ganho a confiança de todos.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qui Out 20, 2016 4:49 pm

Ce vai ajudar o spock vai vendo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qui Out 20, 2016 8:13 pm

Blankie Jackson escreveu:
Ce vai ajudar o spock vai vendo
...e como!

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qui Out 20, 2016 8:14 pm

Capítulo 4 - Ah,é isso...




Horas antes, assim que T'mar deixou a enfermaria, o médico contata o Capitão que descansava em seus aposentos.
— Jim, preciso conversar com você.— Falou apreensivo.
— Parece preocupado, Bones! Estou em meus aposentos. Se importa de vir até aqui?
— Estou a caminho. McCoy desliga.
Pegou o pad com os exames de T'mar e saiu da enfermaria agoniado. Ele não podia negar que estava muito apaixonado por aquela mulher e o que aqueles exames revelavam haviam deixado-o atordoado.
— Veja, Jim! — Ele falava entregando o pad na mão do capitão que acabara de sair do banho e estava ainda com a toalha sobre os ombros.
— São os exames da T'mar. O que tem? Para mim parece que está tudo certo... —Respondeu olhando o pad e sentando-se em sua cama.
— Olhe novamente! — Falou nervosamente, digitando alguns comandos na tela do pad. —Veja o exame de sangue.
— Magro, por favor me diga aonde quer chegar... Eu sou capitão e não um médico.
— Os níveis de ferro no sangue... Estão anormais pra uma vulcana! Muito abaixo do normal.
— E isso quer dizer o que? Que ela precisa de vitaminas?
— Você está de brincadeira comigo, não é? Quer dizer que ela não é quem diz ser! Ela não é vulcana!
— Ah, é isso...
— Não parece surpreso. Você já sabia?
— Na verdade sabia. Desculpe, Magro. Não achei que fosse tão perceptível. Surak fez ótimas recomendações sobre ela, e o fato de ela não ser vulcana em nada influenciou na escolha de T'mar para vir à bordo. Ela faz um trabalho excelente e serve a frota há mais tempo que nós...
— Jim, você tirou um peso imenso de meus ombros...
— Você realmente gosta dela? Mesmo sendo "um maldito computador de sangue verde"?
— Eu não sei explicar...
— Eu sei. Ela simplesmente é fascinante.




_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qui Out 20, 2016 8:19 pm

A meio romulana magro se acostume
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qui Out 20, 2016 8:25 pm

Blankie Jackson escreveu:
A meio romulana magro se acostume
não é meio não...é todinha! Romulana até o ultimo fio de cabelo

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Sex Out 21, 2016 8:23 pm

Capítulo 5 - Pensei que éramos amigos...



Almoçaram tranquilamente e ninguém poderia negar que T'mar apreciava a companhia do médico. Conversavam bastante e ela prestava muita atenção ao que ele dizia sempre.
Mas mesmo que ele tentasse disfarçar, ela percebia que algo o estava deixando desconfortável. No entanto, nada falou.
Depois voltaram cada um a seus afazeres e no fim do dia sintetizaram as fórmulas que McCoy precisava.
Ao final das tarefas, McCoy convidou T'mar para jantar. Porém, ela negou alegando que precisava terminar alguns afazeres em seus aposentos. Então gentilmente ele ofereceu sua companhia
— Você não parece estar bem, Leonard... Dr. McCoy — Gaguejou, corrigindo-se.
Ele sorriu. Seu nome soava tão docemente saindo dos lábios dela.
— Você pode me chamar de Leonard se quiser, T'mar.
Ela assentiu com a cabeça e prosseguiu;
— Enquanto trabalhávamos, percebi que algo o incomodava...
Estavam já diante da porta dos aposentos dela. O médico franziu o cenho, pensativo.
— Podemos conversar um instante? — Perguntou McCoy indicando que pretendia entrar no quarto dela.
— Certamente. — Ela respondeu já entrando no cômodo.
— É sobre seus exames. — Falou sem rodeios. — Por que mentiu? Pensei que fôssemos amigos...
A moça suspirou e baixou a cabeça.
— Não sou de Vulcano. De fato não nasci lá nem nunca estive naquele planeta. Mas também não tenho lembranças do meu planeta natal realmente. T'Lara e Saavok me encontraram sob a custódia dos gigantes de Regulus 4, que aparentemente achavam que o meu choro era engraçado e me mantinham em uma gaiola. Os vulcanos eram mercadores e se compadeceram de mim, me compraram dos gigantes e me levaram com eles. Claro que eles sabiam de onde eu era, mas isso não impediu que me criassem, amassem e me educassem como um deles. Eu cresci e decidi que queria servir a Frota Estelar e como em tudo que eu fazia, eles me apoiaram. E também me alertaram sobre o que os humanos pensam dos Romulanos. Eu não sou uma espiã, McCoy. Apenas nasci do lado errado da Zona Neutra...
— Na verdade isso já não importa mais pra mim. Só gostaria que tivesse me contado.
— Eu peço desculpas por isto. Não pensei que faria diferença.
— Para o que eu sinto não. — Terminou de falar se aproximando e envolvendo os lábios da jovem com os seus carinhosamente.
Lentamente seus braços a puxavam para mais perto, pretendendo aprofundar aquele beijo.
T'mar estremeceu quando sentiu a intenção do médico, então empurrou seu peito gentilmente.
— Eu ainda não entendo esta necessidade de encostar os lábios...
—É uma forma de expressar carinho. Você não gosta?
— Não posso afirmar que me desagrada, mas ainda não me acostumei a ser tocada assim...
— Você nunca foi tocada? — Sorriu.
— Por homens não.
— Nem um aperto de mão?
— Leonard, vulcanos não dão apertos de mão.
— Então eu tenho a honra de ser o primeiro. — Falou tentando retomar o abraço.
— Não tenho certeza quanto à honra. Mas você é o primeiro a chegar tão perto, e isto ainda me causa desconforto. — Respondeu contraindo-se.
— Prometo que não vou ultrapassar nenhum limite que você não queira.
— Obrigada. Creio que agora você deva ir... — Falou já abrindo a porta.
— Nos vemos mais tarde?
— Não.
— Nossa, T'mar. Não precisa me cortar assim.
— Cortar? Como assim, eu feri você? Ademais, antes de virmos até aqui já havia informado que precisava realizar algumas tarefas.
— Está bem...
Antes de sair, McCoy segurou delicadamente o rosto da jovem entre suas mãos e deu-lhe um beijo cheio de carinho.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Sex Out 21, 2016 8:32 pm

Vixi magro bate em uma parede de tijolo doia menos que um corte da T'mar Dã
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Sex Out 21, 2016 8:36 pm

Blankie Jackson escreveu:
Vixi magro bate em uma parede de tijolo doia menos que um corte da T'mar Dã
ahahahaha ela não fez por mal... ela gosta dele. de um jeito vulcano

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 23, 2016 5:27 pm

Capítulo 6 - Sasha


T'mar se sentia bem por isto. Sabia o que ele sentia e que era legítimo, que ele não mentia quando falava sobre o que sentia. E mesmo não tendo muita intimidade com sentimentos, ela sabia que a companhia dele lhe fazia bem.
Sentou-se junto ao seu computador afim de gravar seu diário pessoal. Assim que saiu do banho, e notou que havia uma mensagem recente de Sasha.
Deu a ordem de que o computador rodasse a mensagem e logo a imagem de Sasha brilhou em seu monitor.
— Saudações, T'mar. Aqui é sua amiga que foi esquecida. É algum gato novo que tá tomando teu tempo? — A moça falava com um ar aborrecido, mas em seguida abriu um grande sorriso. — Estou com muita saudade, mas tenho uma novidade! Fui transferida. Aparentemente era você que me mantinha naquele lugar. Agora estou em uma nave estelar também. Quem sabe uma hora dessa a gente se encontra? Sasha desliga.
Assim que aquela mensagem findou, começou a piscar no console de T'mar o indicador de chamada.
Tão logo atendeu, apareceu novamente na tela a imagem sorridente de Sasha.
— T'mar, eu não acredito que você está no alcance!
— Nós só estamos em uma chamada ao vivo porquê...
— Ah, eu sei! Que saudade dessa sua chatice!
—Também sinto sua falta.
— Mas me conte tudo! Como estão as pesquisas? Seu chefe novo é gato? Tem muito gato nessa sua nave? Porque aqui só tem velho, dá vontade de morrer.
— As pesquisas vão bem, e Sasha... Não há animais a bordo.
— Não é o que diz aqui.— E desviou o olhar para um monitor lateral. — "Ele é agradável e bonito..."
— Você está acessando meu diário? Eu troquei a senha!
— Mas colocou outra muito fácil. Agora vamos, conte-me tudo!
— Neste trecho eu falava do Sr McCoy.
— Hum, e ele é bonito?
— Já que você gosta de hackear tudo, veja nos arquivos da frota.
— Ah, boa idéia! — Exclamou focando novamente sua atenção naquele monitor lateral.
Sasha ficou apenas alguns segundos naquela tarefa, e por fim exclamou:
— Já achei! Leonard McCoy. Hum, bonito. Belos olhos...
— Você sabe que essa ala dos arquivos é de domínio livre a todos da frota não sabe?
— Ah, claro... Claro que eu sei. — Falou um pouco desconcertada. — Mas ele é um gato! E como foi?
— Foi o quê? Sasha nós somos amigas, mas às vezes parece que falamos outra língua.
— Você se faz de inocente. Olha, você começou a falar desse McCoy no diário há quase seis meses. Vai me dizer que não aconteceu nada...?
— Aconteceram muitas coisas em seis meses. O trabalho no laboratório é intenso e...
T'mar parou de falar pois Sasha a encarava emburrada.
— Ok, sei do que você está falando. Não aconteceu nada do que você quer saber. McCoy é um cavalheiro...
— E esse outro...?
— Não há outro.
— E esse aqui do perfume?
— Spock... — Balbuciou.
— Isso! — Exclamou e rapidamente voltou sua atenção pro monitor. — Hum, mas é bonitão também.
— Ele é meu oficial superior.
— E pelo que diz seu diário, tem te deixado perturbada.
— Por favor, pare de acessar meu diário! — T'mar falou com expressão irritada.
— Está bem. Agora, me diga para onde estão indo?
— Não sei ao certo, mas algo me diz que vamos para Vulcano...

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 23, 2016 5:36 pm

Spock com sintomas de pohn far. la vem a tretis
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 23, 2016 5:41 pm

Blankie Jackson escreveu:
Spock com sintomas de pohn far. la vem a tretis
Treta é sempre a melhor parte

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qua Out 26, 2016 9:22 pm

Capítulo 7 - Uma distância segura.


T'mar notara que nas ultimas semanas, Spock aparecia cada vez menos no laboratório. Pedindo experimentos e relatórios pelo computador, evitando de ir até lá.
Kirk andava apressando pelo corredos da nave quando foi abordado por McCoy.
— Jim, tem notado algo estranho com Spock ultimamente?
— Estranho? Estamos falando do estado normal do Spock, então?
Andavam pelo corredor e McCoy tentou não rir do tom irônico do Capitão. Então continuou falando.
— Quero dizer, ele parece mais impaciente. E eu poderia até dizer que está nervoso com alguma coisa. Estranhamente se negou a fazer os exames de rotina de forma bem grosseira. Verifiquei também que não tem se alimentado e T'mar disse que ele também não tem ido ao laboratório.
— Agora que você falou, notei que ele está com um comportamento diferente por estes dias... Mas achei que fosse por causa da briga com a Uhura.
— Eles brigaram? — Falou diminuindo o passo e depois acelerando pra entrar no turbolift juntamente com seu capitão.— Meu Deus, como deve ser uma briga de casal com ele?
Quando o turbolift se abriu, Spock estava parado junto á porta para ir á outro convés.
— Capitão, tenho algumas folgas acumuladas e gostaria de solicitá-las em meu planeta natal. Pelo presente curso poderemos chegar lá em 2.3 dias.
— Estamos um bocado longe de lá, Spock. Mas estamos á caminho de Altair2. Soube que lá é bem agradável e...
— Não! Eu preciso ir para Vulcano. — Falou impaciente. — Você vai me conceder esta folga sim ou não?
— Calma, amigo. Vamos ver o que é possível fazer.
Antes mesmo que Kirk completasse a frase, Spock entrou no turbolift, deixando o médico e o capitão a falar com as paredes.
— Você viu? Eu sei que este duende não está bem. Ele não age assim ou fala com você desta maneira. — Cochichou McCoy.
— Você tem razão, Bones. Vou falar com ele.
Naquele mesmo dia Kirk visitou os aposentos do comandante, e este de maneira relutante, contou sobre sua condição e o Pohn Farr.
— Mas e a Uhura? Você não pode "resolver" isto com ela?
— Eu imaginei que por minha condição não passaria por isto, mas é de minha natureza e não posso evitar. Nyota e eu não somos mais um casal e na verdade, há uma esposa me esperando em Vulcano e por isto não tenho mais que um enlance com a tenente.
Ela sabia que ele não estava bem, e mesmo que ele sequer passasse pelo corredor, o perfume que emanava dele insistia em viajar pelos corredores até ali, fazendo-a ficar dispersa.
Soubera aquela tarde que estavam em órbita de Vulcano e sentiu curiosidade de conhecer aquele planeta cujos seus pais eram nativos e que portanto era seu também. Chegou a adiantar suas tarefas para poder pedir algumas horas de folga, mas quando soube que estavam ali por Spock, desistiu deste intento pois sabia o que estava acontecendo na superfície.
Tentou se distrair naquela tarde, mas sentir os resquícios daquele perfume por toda a nave era perturbador. Quando soube que haviam deixado a órbita, sentiu-se aliviada pois sabia que aquele tormento havia acabado para ele e indiretamente para ela

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qua Out 26, 2016 9:36 pm

Da logo a folga pra ele home ou a treta vai ficar feia
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Qua Out 26, 2016 9:58 pm

Blankie Jackson escreveu:
Da logo a folga pra ele home ou a treta vai ficar feia

ô se vai...

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Sex Out 28, 2016 8:07 pm

Capítulo 8 - O que quer aqui?


Acordou no meio da noite de sobressalto e uma força a impelia a sair da cama e ganhar os corredores.
Era como um chamado insistente, um pedido de socorro bradando o nome dela.
Tentou ignorar.
Entrou debaixo do chuveiro, pois sua carne parecia estar em brasa, mas aquela agonia não passava, aquele grito em sua mente não parava.
Saiu do banho e com a pele ainda úmida, vestiu seu roupão de seda e saiu, vencida pela força da vontade.
Andou silenciosamente pelos corredores vazios. Ela costumava saber sempre das horas do dia e da noite, mas a agonia que a invadia fazia com que perdesse a noção. Porém, a julgar pelo silêncio, todos naquela ala da nave dormiam.
Parou diante da porta fechada. O perfume ali era denso, quase palpável.
Respirou fundo mais uma vez, deixando sua mente ser invadida por todas aquelas sensações e então a porta se abriu.
O ar estava muito quente, o quarto estava envolto em penumbra e o silêncio só era quebrado pela respiração pesada de Spock.
Ele estava sentado em sua cama, de cabeça baixa e seu corpo molhado de suor. Os lençóis bagunçados pela tentativa frustrada de dormir e a camisa aos pedaços espalhada pelo chão.
Ele ergueu os olhos febris lentamente e encarou-a.
— O que quer aqui, mulher?
— Eu vim ajudar você...
— Vá embora! Me deixe em paz! — Urrou.
— Calma... — Falou ajoelhando-se diante dele. — Eu sei que você não confia em mim, mas eu posso te ajudar. — Terminou a frase erguendo a mão, oferecendo-lhe os dois dedos para que ele pudesse lhe tocar. Ele nada fez, apenas ficou olhando-a.
— Vamos, Spock, você precisa confiar em mim. — Ela insistiu, segurando-lhe o pulso, fazendo que erguesse a mão.
Ela iniciou o breve ritual, o leve toque dos dedos que pouco a pouco fazia seus corações baterem no mesmo ritmo, suas mentes se harmonizarem para que ficassem na mesma sintonia.
T'mar que havia sido atraída até aquele quarto pelo chamado desesperado da mente dele, ia aos poucos sentindo seu sangue borbulhar dentro das veias. Aquela febre a perturbava, levando o resto de sua sanidade.
Estava ficando difícil respirar. O ar parecia estar ficando mais denso, pesado.
Aquela excitação fazia tudo a volta rodar.
Ela levantou-se, e sem desviar os olhos dos dele, desfez o nó do roupão, deixado-o cair languidamente por sua pele até encontrar o chão.
T'mar sabia que era Spock sentado na cama diante dela, mas não reconhecia seu Comandante detrás daqueles olhos famintos de fera.
Sentiu sua intimidade tremer quando ele ficou de pé, revelando que em seu colo repousava somente uma fração do lençol que outrora ele usava para se cobrir a noite.
Uma pequena parte consciente de sua mente advertia de que ela não deveria estar ali, de que já havia ido longe demais. Mas sua mente consciente já não comandava mais seus atos e seu corpo permanecia inerte à espera do próximo movimento dele.
Spock olhava para ela como se realmente estivesse com muita fome. Passava a língua pelos lábios enquanto seus olhos examinavam demoradamente as belas formas femininas de T'mar.
— É bonita, mulher...— Murmurou e em seguida, segurando-a pelos ombros, jogou-a sobre a cama.
Antes mesmo que ela pudesse recuperar o fôlego por causa da força com que foi arremessada, T'mar sentiu o peso do corpo dele sobre ela. E enquanto ele segurava suas mãos para o alto, imobilizando-a, aproximou a boca de seu ouvido.
— Não deveria ter vindo. — Falou com a voz rouca enquanto a penetrava abruptamente.
Ele se movimentava nela num ritmo rude e cadenciado e ela fechava os olhos tentando se concentrar. T'mar só queria que acabasse logo.
A cada minuto que passava, T'mar ia sentindo uma força crescendo dentro dela. Uma vontade que estava ficando difícil de controlar. Parecia que cada fibra do seu corpo lutava e a impulsionava pra isso.
De um movimento só, fez o corpo dele virar, fazendo com que ficasse debaixo dela que então iniciou a própria dança.
Meneava o quadril para frente e para trás lentamente e pouco a pouco ia aumentando o ritmo, mantendo as mãos deles seguras sobre a cabeça.
Spock abria os olhos e fitava o olhar de T'mar, não a reconhecia... Ela parecia tomada por uma fera. Uma fera maior que a força do Pohn Faar. Ele sabia que era ela, apenas parecia outra pessoa.
Ela estava mais forte e mais feminina que qualquer fêmea vulcana que ele havia conhecido.
T'mar estava totalmente alheia às observações dele. Ela precisava simplesmente satisfazer aquela força que a dominava, e se movimentava mais rápido e mais forte sobre ele até sentir que não podia mais. Seu corpo ficou tenso e parecia vibrar intensamente. Tudo à volta havia deixado de existir. Só tinha consciência daquele momento. Estava perfeitamente lúcida de seu corpo, sua pele arrepiada e todas aquelas sensações. Quando ela sentia que não poderia aguentar mais aquela explosão de emoções, sentiu seu corpo relaxar repentinamente e desfaleceu sobre o peito desnudo de seu parceiro. Ainda pode senti-lo pulsando dentro dela.
Havia enfim acabado.
Spock estava debilitado devido aos últimos dias sem comer ou dormir de maneira efetiva. Então quando sentiu aquela explosão e o relaxamento que veio à seguir, caiu em sono profundo tão logo T'mar deitou-se ao seu lado
Ela levantou-se e buscou o roupão largado no chão do quarto. Foi até o banheiro tentar se recompor antes de sair. Não sabia quanto tempo havia estado na cabine de Spock e nem que horas chegara até ali, então não podia chamar muita atenção ao sair.
Refez seu penteado e ajustou o laço do roupão. Olhou uma última vez para Spock adormecido e jogou um lençol sobre seu corpo.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Sab Out 29, 2016 8:29 pm

Capítulo 9 - Notório


Abriu a porta e olhou em volta. O corredor parecia vazio. Talvez todos ainda estivessem dormindo.
Virou à esquerda e andou apressada até o turbolift. Quando a porta se abriu, vislumbrou Kirk espreguiçando-se. Ficou estática e por uma fração de segundo pensou em nocauteá-lo, logo desistiu.
— T'mar? O que faz por aqui? Está tudo bem?. — Disparou.
A jovem baixou a cabeça e instintivamente fechou o decote do roupão com as mãos.
— Perfeitamente, Capitão. — Falou desviando dele e entrando no turbolift.
Kirk ficou espantado. De onde ela estaria vindo semi-nua?
Quando se virou, deu de cara com McCoy com cara de cansado ainda se espreguiçando. Logo lhe ocorreu o que acontecia.
— Bom dia, Doutor! — Saudou animado crendo que a resposta seria entusiasmada.
— Bom dia, por quê? — Resmungou.
— O que foi, McCoy? Não dormiu bem?
— Maldito colchão duro, dormi mal e acordei com torcicolo! O que ainda faz aqui, Jim? Achei que já deveria estar na ponte. Atrasado também?
— Não. Precisei voltar pois esqueci um pad e a ordenança Rand ainda não está de serviço, então...
— Certo. Depois que eu tratar disto, — E massageava o próprio pescoço. — Vou levar o relatório da enfermaria que me pediu ontem. Já está quase pronto.
— Não precisa ter pressa, Magro...
— Quero terminar isto logo pra poder passar um tempo no laboratório com a T'mar. Não a vejo desde o almoço de ontem...
McCoy falava enquanto entrava no turbolift e a porta se fechava deixando Kirk com uma grande dúvida. Se T'mar não estava vindo do dormitório de McCoy, que mesmo querendo não consegue esconder quando está feliz, de onde ela vinha àquela hora e praticamente nua?
T'mar entrou em sua cabine sem ser vista por mais ninguém e respirou aliviada quando a porta se fechou atrás dela.
Tomou um banho muito rápido, arrumou-se, vestiu o uniforme e rumou o mais rápido que pôde para o laboratório. Estava atrasada demais. Por sorte, ultimamente trabalhava sozinha no laboratório. Há semanas Spock não passava por lá e nos últimos dias nem McCoy dava as caras.
Assim que chegou na sua bancada de trabalho, recebeu uma mensagem em seu computador. Era McCoy pedindo que ela sintetizasse uma pequena lista de compostos e levasse pra ele na enfermaria assim que estivessem prontos e terminava a mensagem pedindo para almoçarem juntos.
Se dedicou aquela manhã toda aos compostos que o médico havia lhe pedido, ficando completamente absorvida com aquela tarefa. Quando finalmente terminou, já era quase hora de fazer o intervalo do almoço. Arrumou os compostos recém preparados em uma pequena bandeja e rumou à enfermaria.
Chegando lá, não havia ninguém.
— Enfermeira Chappel? Dr. McCoy? — Ela chamava enquanto entrava no local.
— Aqui Tenente. — A voz de McCoy chamava de dentro de sua sala.
— Trouxe os compostos que pediu, Doutor. Onde estão as enfermeiras?
— Como vê, não tenho nenhum doente aqui então elas foram fazer um intervalo mais cedo... Já devem estar voltando. — Falou se aproximando da jovem.
— Ok. Podemos então ir almoçar? — Disse entregando a bandeja nas mãos do médico que rapidamente a depositou sobre a bancada junto à porta.
— Espere, temos tido tão pouco tempo nos últimos dias...
— Estive ocupada também.
Enquanto ela falava, McCoy se aproximava mais, a ponto de seus rostos quase se tocarem. Ele a olhava com carinho e T'mar apreciava este afeto.
— Estamos em serviço, Doutor. Acha esta proximidade conveniente?
— Não... Eu sei que não é, mas estamos sós aqui.
— Pode chegar alguém. — Insistiu, dando um passo atrás.
— Nossa relação não é mais segredo pra ninguém, T'mar...
— De acordo. Entretanto, estamos em serviço.
— Está bem. — Falou beijando carinhosamente a mão da jovem. — Vamos almoçar?
Era notório já para todos na nave que o que havia entre eles era mais do que simplesmente amizade. A forma como se olhavam denotava que haviam sentimentos mais profundos.
McCoy conversava e por vezes massageava o pescoço. A noite havia sido mesmo ruim e a hipo não fizera o efeito esperado.
— Está com dor, Leonard?
— Acordei com torcicolo.
— Eu posso ajudar se você quiser. Podemos ir até sua cabine?
E assim fizeram.
***

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Blankie Jackson
Leitore(a)s Cadastradas
Leitore(a)s Cadastradas
avatar

Feminino Número de Mensagens : 61
Idade : 39
campina grande
Data de inscrição : 18/09/2008

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 30, 2016 3:30 am

8 - isso ainda vai da uma treta e das pretas

9 - aproveita macoy que logo logo ela começaa regular mixaria :rsrs:
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://unbreakable.ativoforum.com/index.htm
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 30, 2016 9:34 pm

Blankie Jackson escreveu:
8 - isso ainda vai da uma treta e das pretas

9 - aproveita macoy que logo logo ela começaa regular mixaria :rsrs:

treta? we love treta!



ela negar? acho que não hein

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
T'Vran
Escritoras
Escritoras
avatar

Feminino Número de Mensagens : 128
Idade : 38
Novo Hamburgo
Data de inscrição : 11/09/2016

MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   Dom Out 30, 2016 9:35 pm

Capítulo 10 - Nos vemos mais tarde.


Já era quase hora do almoço quando Spock entrou na ponte de comando. Rápida e disfarçadamente todas as atenções se voltaram para ele. Afinal, era mais provável que Kirk dormisse demais do que o Sr Spock.
Depois de alguns minutos, Jim se aproximou:
— Spock, está tudo bem? Você nunca se atrasou.
— Peço desculpas por isso, Capitão.
— Entendo. Você poderia ter pego o dia de folga, afinal precisa se recuperar.
— Capitão? — O vulcano ficara surpreso.
— Claro. Ficaste vários dias sem comer ou dormir. Imagino que até você precise de descanso.
— Perfeitamente. Mas já descansei o bastante, Jim. Obrigado.
Enquanto conversavam discretamente na ponte, McCoy entra ainda com uma expressão cansada.
— Nossa, Magro! Ainda está péssimo.
— Nem me fale. Parece que a hipo não fez efeito. Só vim te trazer o relatório, preciso voltar pra enfermaria.
— Muitos doentes? — Perguntou o capitão olhando rapidamente o pad.
— Não, como pode ver a enfermaria está vazia. Apenas estou esperando por T'mar, vamos almoçar juntos.
— Certo, Don Juan. Ah, Magro. Já ia esquecendo. Recebemos uma mensagem da frota informando que a posse do novo governador de Altair IV foi adiantada em um dia. Scott vai nos colocar em dobra máxima, devemos chegar lá hoje a noite.
— Ah, que droga, Jim!
— Eu sei. Nos vemos mais tarde.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A Filha de Dois Mundos   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A Filha de Dois Mundos
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 4Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Frederico Heliodoro - Dois Mundos (2012)
» Dois anos depois de sua morte, Michael Jackson é homenageado ao redor do mundo
» Dois elefantes
» Colunas frontais partilhadas por dois sistemas?
» Um, dois, três, testando

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Star Trek FanFiction :: Indice de Fanfictions Trekers :: Escritora T'Vran-
Ir para: